Os peixes representam mais da metade de todos os vertebrados. Existem cerca de 25.000 espécies, exibem grande variedade de formas e habitam praticamente todos os tipos de ambientes aquáticos. Biologicamente, eles apresentam, uma grande diversidade de comportamentos, de modos de se alimentarem e de se reproduzirem.

Abotoado (Oxydoras spp)
Chega a mais de 1,00 metro e cerca de 20 Kg.
Amazonas, Tocantins. Matas inundadas, lagos de várzea e canais.

Apaiari (Astronotus spp)
Cerca de 35 a 40 cm e chega a 1,5 Kg.
Amazonas, Araguaia-Tocantins, Lagos de várzea e lagoas marginais.

Apaiari (Astronotus spp)
Cerca de 35 a 40 cm e chega a 1,5 Kg.
Amazonas, Araguaia-Tocantins, Lagos de várzea e lagoas marginais.

Apapá (Pellona castelnaeana))
Pouco mais de 0,5 M e cerca de 3 Kg de peso.
Acre, Amazonas, Roraima, Rondônia, Pará, Amapá, Tocantins, Mato Grosso e Goiás, em águas correntes e lagoas.

Aruanã (Osteoglossum bicirrhosum)
Chega a 1 metro de comprimento e cerca de 5 Kg.
Acre, Amazonas, Roraima, Rondônia, Pará, Amapá, Tocantins, Mato Grosso e Goiás, em lagoas, pequenos rios e matas de igapó.

Bagre (Bagre sp)
Chega a medir 50 cm e cerca de 5 Kg.
Encontrado em todo território brasileiro em rios e riachos, em poços profundos e em represas, junto a barrancos de terra.

Barbado (Pinirampus pinirampus)
Cresce um pouco mais de 10 Kg.
Acre, Amazonas, Roraima, Rondónia, Pará, Amapá, Tocantins, Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, no leito dos rios de médio e grande porte.

Bicuda (Boulengerella sp)
Passa de 1 metro de comprimento e cerca de 6 Kg.
Acre, Amazonas, Roraima, Rondónia, Pará, Amapá, Tocantins, Mato Grosso e Goiás, em regiões de águas com correntesas moderadas, bocas de lagoas e baías.

Cachara (Pseudoplathystoma fasciatum)
Chega a 1,20 metro e cerca de 20 Kg.
Acre, Amazonas, Roraima, Rondónia, Pará, Amapá, Tocantins, Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina, em lagoas, igarapés, canais de rio, florestas inundadas, bocas de lagoas, os corixos, leito dos rios e bancos de aguapés.

Cachorra (Hydrolycus scomberoides)
Chega a 1,20 metro e cerca de 15 Kg.
Acre, Amazonas, Roraima, Rondônia, Pará, Amapá, Tocantins, Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Minas Gerais, em rios de pequeno, médio e grande porte, em águas movimentadas, atrás de obstáculos e próximo de cachoeiras.

Caparari (Pseudoplatystoma tigrinum)
Chega a mais de 1,30 metro e cerca de 15 Kg.
Amazonas, nas matas inundadas, lagos, canal dos rios e praias.

Curimbatá (Prochilodus lineatus)
Chega a quase 1 metro e no máximo 8 Kg.
É encontrado em vários rios brasileiros. Acre, Amazonas, Roraima, Rondónia, Pará, Amapá, Tocantins, Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Maranhão, Ceará, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba, Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

Dourada (Brachyplathystoma flavicans)
Chega a 1,50 metro e cerca de 40 Kg.
Acre, Amazonas, Roraima, Rondônia, Pará, Amapá e Mato Grosso, no leito de rios de grande e médio porte, nos poços, trechos após corredeiras e pedras.

Jacundá (Crenicichla spp)
Chega a 40 cm e cerca de 300 gramas.
Encontrado no Amazonas, Tocantins, Mato Grosso e Goiás, em lagos, lagoas e remansos de rio.

Jatuarana (Brycon sp)
Chega a 1 metro e cerca de 8 Kg.
Encontrado no Amazonas, em corredeiras e remansos dos rios.

Jaú (Paulicea lutkeni)
Chega a 1,50 metro e cerca de 100 Kg.
Encontrado no Acre, Amazonas, Roraima, Rondónia, Pará, Amapá, Tocantins, Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Paraná, em poços profundos dos grande rios.

Jurupensém (Sorubim lima)
Chega a 70 cm e cerca de 2 Kg.
Encontrado no Amazonas, Tocantins e Mato Grosso, nos poços abaixo das corredeiras.

Jurupoca (Hemisorubim plathyrhynchos)
Chega a 1 metro e cerca de 10 Kg.
Encontrado no Acre, Amazonas, Roraima, Rondónia, Pará, Amapá, Tocantins, Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul, nos canais dos rios, próximo às margens com queda abrupta e profunda e na boca das lagoas e corixos.

Lambari (Astyanax spp)
Chegam a no máximo 20 cm e cerca de 200 gramas.
Em todo território nacional, em riachos rápidos, lagoas, represas e rios.

Mandi (Pimelodus spp)
Chega a 50 cm e cerca de 500 gramas.
Amazonas, Tocantins, Mato Grosso e Atlântico Sul, nos remansos das margens dos rios.

Mandubé (Ageneiosus brevifilis)
Chega a 50 cm e cerca de 2,5 Kg.
Amazonas, Tocantins e Mato Grosso, ao longo dos rios, nos remansos entre as corredeiras.

Matrinxã (Brycon sp)
Chega a 80 cm e cerca de 5 Kg.
Encontrado no Acre, Amazonas e Rondônia, nos grandes rios e igapós.

Pacu (Piaractus mesopotamicus)
Chega a 1 metro e cerca de 20 Kg.
Em todo território nacional, nos leitos dos rios com águas mais calmas.

Piau (Leporinus fasciatus)
Chega a 30 cm e cerca de 1 Kg.
Encontrado no Amazonas, Tocantins e Mato Grosso, nas margens de rios, em locais com fundo arenoso e com pedras.

Piraíba (Brachyplathystoma filamentosum)
Chega a 2 metros e cerca de 300 Kg.
Encontrado no Acre, Amazonas, Roraima, Rondônia, Pará, Amapá, Tocantins, Mato Grosso e Goiás, nas calhas de grandes rios e confluências com rios de médio portes.

Piranha (Serrasalmus spp)
Chega a 80 cm e cerca de 6 Kg.
Encontrado no em todo território nacional, nos leitos dos rios, lagoas marginais e igarapés.

Pirapitinga (Piaractus brachypomus)
Chega a 80 cm e e cerca de 20 Kg.
Encontrado no Amazonas, Tocantins e Mato Grosso, em lagos, lagoas e matas inundadas.

Pirarara (Phractocephalus hemeliopterus)
Chega a 1,25 metro e cerca de 50 Kg.
Encontrado no Acre, Amazonas, Roraima, Rondônia, Pará, Amapá, Tocantins, Mato Grosso e Goiás, nas embocaduras de rios e calha principal.

Saicanga (Acestrorrynchus spp)
Chega a 35 cm e cerca de 1 Kg.
Encontrado no Amazonas, Tocantins e Mato Grosso, em águas paradas ou de pouca correnteza.

Surubim-chicote (Sorubimichthys planiceps)
Chega a 1,50 metro e cerca de 20 Kg.
Encontrado no Amazonas, Tocantins e Mato Grosso, no Leito dos rios.

Tambaqui (Colossama macropomum)
Chega a 1,20 metro e cerca de 30 Kg.
Encontrado no Acre, Amazonas, Roraima, Rondônia, Pará, Amapá, Tocantins, Mato Grosso, Goiás, São Paulo, Minas Gerais e Paraná, em ,atas inundadas e rios.

Traira (Hopilas malabaricus)
Chega a 60 cm e cerca de 3 Kg.
Encontrado em todo território nacional, em águas paradas, represas, brejos, lagoas, taboas e capinzal.

Trairão
Chega a mais de 1,00 metro e cerca de 20 Kg.
Encontrado no Amazonas, Pará, Mato Grosso e São Paulo, em regiões rasas, beiradas de rios e lagoas marginais.

Tucunaré (Cihla spp)
Chega a 1,20 metro e cerca de 15 Kg.
Encontrado em todo território nacional, em Lagoas marginais e igapó.